Itens relacionados

  • JAKOB LILIENWEISS
    "Se algo não estiver a correr como esperamos dentro do…
  • FRANCISCO REIS
    "Mais do que tudo, diverte-te naquilo que fazes, apanha boas…
  • TÂNIA OLIVEIRA
    "Escolhi praticar surf porque desde pequena sempre estive muito ligada…
  • MIGUEL MATOS
    "Competição ou free surf? Gosto das duas igualmente! Mas no…
domingo, 26 janeiro 2014 17:21

MIGUEl TORRÃO

"A amizade que existia entre velejadores e surfistas foi decisiva"

 

Desta vez, damos-te a conhecer um perfil diferente. Não se trata propriamente de um surfista, mas de um amante do surf. Fica a conhecer Miguel Torrão.


Nome? Idade? Local?

Miguel Torrão, 42 anos e vivo no Porto.

 

Estudos/Profissão?

Jornalista.

 

Anos de surf?

Difícil de responder... Não me considero um surfista. Sou velejador desde os 7 anos e um apaixonado e seguidor do Surf desde os anos 80. Vivi sempre rodeado de amigos surfistas e a “proximidade” com o mar levou-me a comprar uma prancha de surf aos 16 anos. Aprendi o básico nas ondas das praias de Leça e Matosinhos.

 

Quiver?

Sempre acima dos 6”10

 

Porque escolheste praticar surf?

A amizade que existia entre velejadores e surfistas, como eram os casos do Fredy, do Silvério, do Carlos Botelho, do Afonso Amaral e do Jorge Nuno Pedrosa, foi decisiva.

 

Praticas algum desporto complementar?

Como disse anteriormente, sou velejador desde os 7 anos e “surfista” quando a temperatura da água sobe.

 

Pico preferido?

Praia da Costa Nova, em Ílhavo.

 

Última surfada memorável que tenhas dado?

Já lá vão uns anos, e recordo bons amigos na água.

 

Maior susto?

Felizmente não tenho nenhum no currículo, também não me aventuro no mar em condições difíceis.

 

Competição ou freesurf?

Competição.

 

Como está o surf atualmente?

Tive no último ano a oportunidade de conviver novamente com os principais responsáveis e intervenientes da modalidade. Revi “velhos” amigos e percebi o quanto está diferente o Surf em Portugal. Por razões profissionais, estive no CT de Peniche e em simultâneo, no projeto “Nazaré Qualifica”, na Praia do Norte. Considero ambos responsáveis pelo regresso do país, dos surfistas portugueses e da indústria de surf ao mapa mundial da modalidade. Fazem-se milagres com a escassez de recursos financeiros disponíveis.

 

Mensagem a deixar?

A recente “tempestade Hércules” mostrou a todos o quanto somos vulneráveis. As praias já não são suficientemente grandes para receber tanta água, as infraestruturas nunca estiveram preparadas e as autoridades preocupam-se muito pouco com estes fenómenos. Devemos ter uma intervenção na defesa de um património que nos pertence... a nossa costa.

 

O que tens a dizer acerca dos 13 anos da SurfTotal?

Acompanho o vosso projeto desde a primeira hora e apesar de reconhecer o profissionalismo de toda a equipa, não pensava que conseguiriam sobreviver tanto tempo. Nem sempre o Surf é notícia, e conseguir os apoios necessários para alimentar este espaço por vezes é fatal. Felizmente vocês souberam contornar o problema e cresceram...os vossos conteúdos entram em nossas casas quase sem pedir licença. Parabéns...!!!

 

 

Scroll To Top