Os vencedores juntamente com os organizadores do evento Os vencedores juntamente com os organizadores do evento WSL/Poullenot

Itens relacionados

sábado, 10 junho 2017 17:43

Chloé Calmon e Emilien Fleury vencem Mundial de Longboard em Gaia

A brasileira Chloé Calmon e o francês Emilien Fleury venceram o Longboard Pro Gaia, etapa do Circuito Mundial de Longboard da World Surf League, que hoje terminou, na praia de Canide Norte, com boas ondas de um metro, bastante sol e muito público a assistir.



Calmon, que lidera o ranking mundial e é a principal candidata ao título deste ano, venceu em Gaia pelo segundo ano consecutivo, batendo na final a norte-americana Rachael Tilly, campeã mundial em 2015, depois de ter batido Lindsay Steinriede, outra ex-campeã mundial e também norte-americana, nas meias-finais.

“Este spot tem realmente um lugar muito especial no meu coração,” afirmou Chloé. “Sinto-me muito confortável em Portugal... já é como uma segunda casa. Foi um desafio, porque as condições estiveram sempre a mudar e a concorrência era muito forte, mas em 2016 eu decidi fazer a perna europeia do circuito precisamente por causa disso, porque era um bom treino para as etapas do circuito principal. E parece que está a resultar! Vou ficar pela Europa e ainda vou fazer a etapa inglesa, para depois me preparar para a de Taiwan, onde o título mundial está em jogo. Espero que seja este o meu ano,” concluiu a simpática atleta, de 22 anos.


*Emilien Fleury em ação nas boas ondas que caractrizaram esta prova do Mundial de Longboad em Gaia
Apesar da boa prestação e da luta que deu a Calmon, Rachael Tilly, de 19 anos, teve de contentar-se com o segundo lugar, tendo batido a francesa Alice Lemoigne, líder do ranking europeu, nas meias-finais. Alice foi terceira classificada no Longboard Pro Gaia 2017, a par de Lindsay Steinriede. Em quinto lugar ex-aequo, nos quartos de final, ficaram a britânica Emily Currie, a japonesa Natsumi Taoka, a francesa Lucie Milochau e a italiana Francesca Rubegni. Currie é agora segunda no ranking europeu, atrás de Lemoigne e à frente da portuguesa Kathleen Barrigão.

Na prova masculina, o francês Emilien Fleury bateu o seu amigo Edouard Delpero na final e conquistou pela primeira vez o título numa etapa do circuito mundial. À quarta final, Fleury provou finalmente o sabor da vitória, naquela que foi a mais doce de todas as vitórias possíveis – em frente ao seu filho e ao seu fiel cão, com quem viajou sozinho, para Portugal, em jeito de surftrip familiar!

Depois de uma final muito tática e renhida com o irmão Delpero mais novo, com constantes trocas de liderança, Emilien acabou por conquistar mesmo o primeiro lugar, graças a uma onda de 9,1 pontos em 10 possíveis, que apanhou quando Edouard liderava e resolveu apanhar uma onda mediana, poucos segundos antes. A onda seguinte, que Fleury surfou na perfeição, acabou por fazer a diferença e por lhe garantir o título do Longboard Pro Gaia 2017, deixando Edouard Delpero na segunda posição.


Edouard Delpero no seu ataque caracteristico à junção!
“É muito bom vencer finalmente uma etapa! E bater o Edouard, que me bateu na final da etapa de Newquay, em 2016! Eu sabia que teria pelo menos uma boa oportunidade para fazer uma pontuação alta, se apanhasse a onda certa. Felizmente o Edouard cometeu o erro de apanhar a onda anterior e eu pude mostrar bom surf naquela que foi a minha melhor onda. Agora vou confiante para Newquay, para a derradeira etapa a contar para o ranking europeu e espero conquistar também o título,” afirmou satisfeito o vencedor, que passou igualmente ao primeiro lugar do ranking europeu, ultrapassando os irmãos Delpero, agora empatados em segundo lugar.

Edouard e Antoine tiveram a “sua final” nas meias-finais, onde se encontraram literalmente mano-a-mano e onde o mais novo bateu o mais velho, como tinha ameaçado ontem. Foi uma bateria disputada ao mais alto nível, na qual Edouard teve de se aplicar ao máximo para bater Antoine, bem exemplificado nas pontuações finais – 19 para o mais novo, 16,60 para o mais velho... em 20 pontos possíveis.

Tão ou mais renhida foi igualmente a primeira meia-final, entre o virtual vencedor e o brasileiro Rodrigo Sphaier, que tinha sido outro dos destaques até então. Pouco mais de sete décimas de ponto separaram os dois longboarders, mas Rodrigo, que tinha vencido a etapa da Caparica em Abril, teve desse contentar desta vez com o terceiro lugar, a par de Antoine Delpero.

Emilien Fleury aconchega a "melhor onda" da sua vida.

Nos quartos de final, em quinto lugar, ficaram o espanhol Alberto Fernandez, o italiano Frederico Nesti, o inglês Jack Unsworth e o brasileiro Augusto Olinto, que foi às meias-finais desta prova em 2016 e que disputou uma bateria igualmente renhida este ano, mas vencida por Emilien Fleury.

Nas contas para o ranking europeu, Fleury lidera agora, com os irmãos Delpero empatados na segunda posição, o surpreendente inglês Jack Unsworth em quarto e Diogo Gonçalves, o melhor português, na oitava posição.

“Este foi mais um ano de excelente nível de longboard em Gaia, com os atletas a responderem às grandes ondas que tivemos a sorte de apanhar durante os dois dias da prova. Queremos agradecer à Câmara Municipal e às Águas de Gaia pelo apoio incondicional, bem como a todos os patrocinadores e às equipas de produção, técnica e de media pela dedicação. Para o ano cá estaremos, com um evento ainda maior, como esperamos,” afirmaram Pedro Ferreira, Gonçalo Pina e Miguel Ferreira, da organização.

Terminou assim o Longboard Pro Gaia, mas o Atlantic Surf Fest regressa amanhã, com as restantes actividades programadas.



 *Chloé Calmon, a Brasileira contagiou de alegria a etapa de Gaia

  • Créditos fotos: WSL / Damien Poullenot

Perfil em destaque

  • Francisco Pinto Francisco Pinto

    Diretamente do Magoito para o Perfil da Semana na Surftotal… 

Scroll To Top