Itens relacionados

sexta, 21 abril 2017 09:30

Sul de Sumatra recebeu pela primeira vez uma prova do QS

Krui Pro fez a estreia na região no que diz respeito a eventos com a chancela da WSL...

 

Novas localizações e eventos são uma prioridade para a World Surf League que este ano volta a contar com algumas surpresas no seu calendário. O Krui Pro, QS1000, 22.ª etapa masculina e 16.ª feminina da World Qualifying Series, é uma das novidades em 2017. 

 

A prova realizou-se pela primeira no sul de Sumatra, na região de Krui que, apesar de ainda não estar explorada ao limite e apresentar pouco crowd, é uma das mais consistentes da Indonésia no que toca a ondas de qualidade. O último dia de competição, absolutamente épico, contou com esquerdas compridas e tubulares de até metro e meio de altura e vento fraco offshore. 

 

Na competição feminina, Lucy Callister levou a melhor sobre Ellie Francis numa final 100% australiana. Ambas foram o destaque no evento usando sempre o seu “backhand” para passar heat após heat. 

 

“Não é apenas a minha primeira vitória no QS! É a minha primeira final no QS e sabe muito bem. No início do ano tive alguns maus resultados que me desanimaram, mas depois decidi fazer alguns QS’s e ganhar alguma confiança e isso acabou por resultar. Sinto-me bem e motivada em correr mais algumas provas,” deixou saber Callister. 

 

Na divisão masculina foi o japonês Keijiro Nishi que levou a melhor, muito graças ao surf veloz e apoiado no rail que apresentou ao longo de todas as fases. O goofy footer nipónico foi um dos principais destaques ao longo da semana. Na final, embora as posições tenham oscilado algumas vezes, Nishi acabou por garantir a vitória quando conseguiu uma nota de 9 pontos na sua última onda. 

 

Já o australiano Moses Le Grice avançou para a final depois de ter superado o brasileiro Jean da Silva nas meias finais. O surfista aussie, de stance regular, foi ganhando confiança, construído o seu resultado - e momentum - onda após onda, heat após heat. 

 

O WQS vê este fim de semana duas provas terminarem, o Pro Zarautz (QS1500) no País Basco e o Corona Durban Surf Pro (QS1000) na África do Sul; e uma outra iniciar, o Komune Bali Pro (em Keramas de 23 a 27 de abril). Depois ruma a Portugal para o Pro Santa Cruz, QS3000 que é a etapa número 26 e irá contar com a presença de Frederico Morais, bem como de outros surfistas do World Tour. 

 

Até lá! 

 

Perfil em destaque

Scroll To Top