Jordy Smith vitorioso em Bells Beach. Jordy Smith vitorioso em Bells Beach. Foto: Cestari/WSL

Itens relacionados

quarta, 19 abril 2017 09:05

A vez de Jordy Smith “ringing the bell”; Frederico Morais chega aos quartos

Terminou há momentos a terceira etapa da Championship Tour em Bells Beach… 

 

O ano passado Jordy Smith esteve perto de levantar o sino no Rip Curl Pro Bells Beach, ficou em segundo lugar atrás de Matt Wilkinson e, embora seja uma honra chegar tão longe num evento tão emblemático como é o de Bells Beach, a verdade é que ficou um gostinho amargo na boca do sul-africano. 

 

Pois bem, desta vez foi mesmo de vez. Smith começou o último dia de prova com uma espetacular vitória na ronda 4, frente a Wiggolly Dantas e Joel Parkinson, e avançou diretamente para os quartos de final. Aí encontrou Adriano de Souza e com um par de oitos (8.77 + 8.00) não teve grandes problemas em avançar um pouco mais na grelha. 

 

Nas meias finais mediu forças com Zeke Lau, o rookie que mais longe chegou no evento, e, mesmo com um resultado apertado (15.63 versus 15.17 pontos), conseguiu garantir uma vaga na final. No último heat o resultado é sempre uma incógnita, mas Jordy selou a liderança com a sua quarta onda, 9.77 pontos, uma série de “carves” e “snaps” no “pocket” que valeram a nota mais alta do confronto. A esta nota Smith ainda juntou um 9.13 pontos conseguido na última onda. 

 

 

O brasileiro Caio Ibelli esteve muito bem ao longo do evento e em especial neste último dia. Foi um justo finalista vencido que ainda esboçou uma reviravolta no resultado quando registou 9.63 pontos na sua sétima onda. No final, com um score de 17.46 frente aos 18.90 pontos conseguidos por Jordy, ficou a precisar de 9.28 pontos, uma requisito altíssimo, para dar a volta à questão. 

 

Ainda assim vale realçar o desempenho de Caio que se qualificou diretamente aos quartos ao vencer a ronda 4, bem como o confronto das meias finais com John John Florence onde acabou por levar, surpreendentemente, a melhor sobre o havaiano e atual campeão mundial de surf (17.63 x 17.43 pontos). Resta mencionar, contudo, que John John esteve imparável na ronda 4 onde conseguiu uma nota de 9.97 (ver vídeo em baixo) e um score quase perfeito: 19.54 pontos. 

 

 

5.º LUGAR PARA FREDERICO MORAIS

Ainda o dia mal tinha começado e já nós estávamos a prever um bom resultado de Frederico Morais em Bells Beach. Na verdade, pensámos até que Kikas poderia ter alcançado as meias finais. A verdade é que o novo surfista português na elite mundial não faz maus heats e, mesmo quando perde, por norma, é com scores altíssimos. Confiança e consistência fazem parte do seu vocabulário e são de ter em conta numa época dura e longa como é o World Tour. Bells Beach não é uma onda fácil, mas o surf do português pareceu adaptar-se que nem uma luva desde a primeira bateria. 

 

Um pequeno aparte para referir um corte que o mesmo sofreu no sobrolho ainda antes da competição iniciar, no free surf, quando foi atingido pela sua prancha no meio da espuma. Ainda assim, o episódio parece não ter tido efeito no desempenho do jovem atleta. 

 

Desta vez Kikas terminou em 5.º lugar, depois de ter conseguido um 13.º e um 25.º lugares nas etapas anteriores. Na ronda 4, na bateria que abriu a competição no último dia, o português liderou até aos últimos instantes, mas foram as duas últimas ondas de Caio Ibelli (8.03 + 8.43) que o remeteram para 2.º lugar. O resultado pareceu injusto, face ao que havia produzido ao longo do heat que dominou desde a primeira onda, mas a vida no CT é assim. 

 

Contudo, o português não se descompôs e na ronda seguinte, a quinta, passou pelo havaiano Sebastian Zietz como se não houvesse amanhã. Pelo caminho, a 20 segundos de soar a buzinadela, conseguiu uma das notas mais altas - 9.17 pontos - e a confirmação da passagem aos quartos de final. 

 

Caio Ibelli voltou a ser o freguês de serviço nos quartos, forçando o português novamente a um segundo lugar no heat. Desta vez, porém, com afastamento de prova uma vez que a ronda é disputada em formato homem-a-homem e já não dá direito a repescagem. No heat, Frederico andou sempre a correr atrás do prejuízo e chegou mesmo a alcançar a segunda nota mais alta do confronto (8.17 pontos). Ainda assim, insuficiente para dar a volta ao resultado que terminou com uma vitória expressivo do brasileiro: 16.00 versus 14.50 pontos. 

 

Mais uma vez, sinal mais para Morais que, voltamos a sublinhar, ainda nos vai dar grandes alegrias esta temporada. Um 5.º lugar final que é um ótimo resultado e que serve para marcar o tom para a próxima etapa - Rio de Janeiro de 9 a 20 de maio. 

 

AS CONTAS DO RANKING

Nas contas do ranking, após a terceira etapa em Bells e a última da perna australiana, John John continua a liderar e Jordy Smith consolida o segundo lugar (a par de Owen Wright), agora a 3800 pontos do líder. Adriano de Souza é quarto, Kolohe Andino quinto (desceu duas posições) e Filipe Toledo sexto (subiu duas posições). Caio Ibelli aparece agora em sétimo lugar após ter galgado 12 lugares. Joel Parkinson, Matt Wilkinson e Sebastian Zietz, em 8.º, 9.º e 10.º lugar, fecham o top 10. 

 

De fora deste grupo, estranhamente, estão Gabriel Medina (11.º), Julian Wilson (16.º), Michel Bourez e Mick Fanning (19.º). Com o terceiro lugar na prova, Zeke Lau subiu até ao 11.º lugar (subiu onze lugares), enquanto Frederico Morais se encontra agora em 19.º lugar (subiu três posições). Estão cumpridas três etapas, faltam realizar, portanto, oito. 

 

Perfil em destaque

  • Mariana Garcia  Mariana Garcia 

    Tem 17 anos, muito talento e acaba de fazer uma final na Liga Nacional de Surf… 

Scroll To Top