Requisito para Vasco Ribeiro é vencer em Sunset Beach. Requisito para Vasco Ribeiro é vencer em Sunset Beach. Foto: Tony Heff/WSL

Itens relacionados

terça, 21 novembro 2017 16:22

Vasco Ribeiro tem que vencer em Sunset Beach para garantir qualificação

Vê quem está dentro e quem está fora do Championship Tour neste momento… 

 

Com o término do Hawaiian Pro (QS10,000), ontem, o ranking do circuito mundial de qualificação da World Surf League sofreu uma nova mexida e nós, os fãs do surf, ficámos a conhecer mais três nomes que integrarão a primeira divisão do surf mundial em 2018. 

 

Trata-se de Griffin Colapinto, dos Estados Unidos, Tomas Hermes e Willian Cardoso do Brasil. Estes três juntam-se a Jesse Mendes (Brasil), Yago Dora (Brasil) e Kanoa Igarashi (EUA) que há muito já tinham sido dado como certos no World Tour pela World Surf League para a próxima temporada competitiva. 

 

Daqui para a frente e até ao décimo posto da tabela é uma verdadeira incógnita, tudo pode ainda acontecer no próximo QS10,000 que tem lugar em Sunset Beach entre 25 de novembro e 6 de dezembro. É precisamente aí, nessa emblemática praia do North Shore havaiano, que as contas serão definitivamente seladas. 

 

De fora da bolha do grupo dos 10 primeiros (os que se qualificam), encontram-se Michael Rodrigues (11.º), Michael February (14.º), Jorgann Couzinet (16.º) e Pat Gudauskas (17.º)… que até poderão ficar dentro dependendo dos resultados que conseguirão no último QS10,000 em Sunset Beach... e também de como resultarão os resultados finais do Billabong Pipeline Pro para os surfistas do CT que se encontram à sua frente. Poderá haver surfistas que garantam a qualificação via tradicional (CT) e abram espaço a mais surfistas no WQS. 

 

Para já, em 10.º lugar está Italo Ferreira com 16.560 pontos. Ora, com 8.720 pontos, em 38.º lugar, isto significa que Vasco Ribeiro ainda tem uma hipótese de qualificação. Para tal terá que vencer a derradeira etapa, amealhando 10.000 pontos de forma a somar 18.120 pontos. O segundo lugar na prova não serve o objetivo do português, pois somaria apenas 16.120 pontos, número por si só insuficiente para entrar no top 10. 

 

Além da matemática, Vasco Ribeiro tem ainda que contar com uma pontinha de sorte e esperar que ninguém da sua concorrência direta melhore em Sunset Beach os seus cinco melhores resultados da temporada, pois são estes que contam para o ranking final da tão difícil, dura e por vezes injusta Qualifying Series. 

 

O requisito é alto, mas não é impossível. E Vasco Ribeiro já nos deu grandes alegrias, precisamente quando alcançar o topo do pódio parecia uma tarefa única e exclusiva dos deuses. Por isso... vamos Vasquinho!!!! 

 

--

>> Aproveita e lê aqui as contas da qualificação, já encerradas, no QS feminino.

Perfil em destaque

Scroll To Top