Itens relacionados

quarta, 13 setembro 2017 12:06

Jake Marshall vê cinco pranchas destruídas pela TAP

Drama do transporte de pranchas pelas companhias aéreas continua… 

 

Bem, depois de termos visto o quiver do basco Natxo Gonzalez ser completamente destruído pela Iberia numa trip ao Chile, no passado mês de agosto, que gerou muitas reclamações e reacendeu a polémica entre as companhias aéreas e a comunidade de surfistas, eis que desta vez a fava calhou a Jake Marshall

 

Depois de ter participado no QS6000 açoriano, o Azores Airlines Pro, onde perdeu cedo (97.º lugar), o jovem surfista norte-americano rumou a casa para recuperar energias e preparar o próximo desafio. 

 

Pelo caminho, até chegar à Califórnia, viu cinco das pranchas do seu quiver serem partidas, cortesia da TAP Portugal. 

 

“Obrigado TAP Portugal por terem destruído cinco das minhas pranchas. Fico desconcertado só de pensar que paguei 150 dólares para as pranchas irem no avião e serem tratadas desta forma”, escreveu o californiano de 17 anos no Instagram. 

 

Já o ano passado a TAP tinha maltratado as pranchas do brasileiro Marco Fernandez quando este se deslocou de Lisboa para o norte de Espanha com vista a competir no Pantín Classic. 

 

Recentemente vimos também John John reclamar da Jet Blue e uma guerra aberta entre Alex Gray e a American Airlines quando este recolheu o seu quiver em vários pedaços.

 

Para quando um serviço, que é pago, eficiente e cada vez mais fiável?

 

--

Lê também: 

Crypt Cases, as novas malas de viagem para pranchas de surf

Companhias aéreas ajustam política de transporte de pranchas de surf

 

Perfil em destaque

Scroll To Top