John John termina Bells em 3.º lugar, mas mantém a licra amarela. John John termina Bells em 3.º lugar, mas mantém a licra amarela. Foto: Sloane/WSL

Itens relacionados

quarta, 19 abril 2017 14:14

Um caso de estudo chamado John John

Consistência e surf aterrador do havaiano voltam a marcar mais uma etapa… 

 

Ainda a semana passada tivemos oportunidade de questionar se John John estará a redesenhar o “power surfing”?

 

O havaiano, atual campeão mundial, voltou a dar que falar no Rip Curl Pro Bells Beach. Desta vez, John John fez um “alley oop” gigante, numa onda de altura considerável, nos últimos segundos do seu heat no Round 4, frente a Mick Fanning e “Seabass”, e arrecadou a segunda maior nota de todo o evento - 9.97 pontos. BOOM!

 

Só não foi a melhor onda porque na ronda inaugural Filipe Toledo esteve endiabrado, conseguindo um 10 pontos a que juntou uma segunda onda de 9.70 pontos, registando consequentemente o melhor score de todo o evento: 19.70 pontos.

 

O havaiano, por sua vez, foi travado nas meias finais por Caio Ibelli, o rookie da WSL em 2016, por uns escassos 0.20 pontos. Ainda assim, John John voltou a convencer neste que foi, muito seguramente, o seu melhor início de temporada de que há memória. 

 

E se dúvidas houvesse, o percurso de Florence voltou a ser fulminante em Bells Beach, a emblemática onda de Victoria. O campeão mundial voltou a exibir-se ao mais alto nível, dando mostras do seu domínio através de um surf poderoso, fluído, controlado, bonito e sempre a rasgar nos limites dos rails

 

Os números falam por si. Na ronda 1 registou uma pontuação de 17.20 pontos, na ronda 4 nada mais nada menos do que 19.54 pontos. Nos quartos de final 16.70 pontos e nas meias seguiu-se um score de 17.43. Na pontuação de ondas individuais só por uma vez falhou a marca dos 9 pontos (na ronda 3). Ora vejam: 9.03 (R1), 9.97 e 9.57 (R4), 9.23 (Quartos) e 9.93 (Meias). Wow! Sem palavras. Avassalador. 

 

O treino do havaiano, como o próprio já referiu, é estar na água, a surfar, entre os Elementos. Sem dúvida que John John é um verdadeiro “case study”, mas, entretanto, parece estar mais regular e consistente, comprometido com a evolução no surf e definitivamente focado em alcançar o segundo título mundial da carreira. E ainda a procissão vai no adro... 

 

Agora diz-nos tu… Que nota davas a este super manobrão?

 

Perfil em destaque

  • Mariana Garcia  Mariana Garcia 

    Tem 17 anos, muito talento e acaba de fazer uma final na Liga Nacional de Surf… 

Scroll To Top