Quem é o surfista mais rico? Confere em baixo. Quem é o surfista mais rico? Confere em baixo.

Itens relacionados

quarta, 28 dezembro 2016 17:37

A LISTA DOS SURFISTAS MAIS RICOS DO PLANETA EM 2016

Vê quem é quem no mundo do surf no ano de 2016… 

 

A lista, divulgada hoje pela australiana Stab, revela os 10 surfistas mais bem pagos do planeta Terra (entre mulheres e homens) durante o ano 2016. Eles vivem o sonho e tudo o que querem é apanhar as melhores ondas do globo [N.R.: Não queremos todos?]. No entanto, isso tem um preço e uma marca para estar associada a um dos surfistas da elite mundial tem que pagar… e bem! 

 

10. JACK FREESTONE, 24 anos

Patrocinadores: Billabong, Epohke, SDS, Futures, Nixon, Modom, Villager.

Jack Freestone aparece em décimo lugar da lista, apesar de ter estado quase fora do World Tour na próxima temporada. O australiano garantiu a qualificação através da Qualifying series, nos últimos eventos, mas isso não deixou de fazer com que fosse um dos surfistas mais bem pagos. De acordo com a Stab, ele aproveitou a saída de Taj Burrow para renegociar este ano com a Billabong. A esperança era de que fizesse um brilharete no Tour, mas isso não veio a acontecer. Os seus ganhos totais são de cerca de 1 milhão de dólares, sendo que 125 mil dólares provêm de prémios em eventos. 

 

 

9. CARISSA MOORE, 24 anos

Patrocinadores: Hurley, Red Bull, Target, Mayhem.

Aos 24 anos a havaiana já detém três títulos mundiais, mas como objetivo de carreira estão definitivamente mais uns quantos. Carissa Moore um dos principais rostos da Hurley, a única da equipa que durante anos conquistou títulos mundiais, mas é a Red Bull quem domina o nose (bico) da sua prancha. Os seus ganhos em 2016 ascendem a 1.1 milhões de dólares, mas dos quais 230 mil são receita de prémios em campeonatos. 

 

 

8. STEPHANIE GILMORE, 28 anos

Patrocinadores: Roxy, Nikon, Sanitarium, Ford, DHD Surfboards.

A multicampeã mundial de surf capta a nossa atenção sempre que entra na água, mas esta temporada foi para esquecer. Stephanie Gilmore não está com aquele foco de antigamente, mas nem por isso deixa de ser a mulher surfista mais bem paga do planeta. Este ano auferiu 1.4 milhões de dólares, sendo que 130 mil provêm de campeonatos. 

 

 

7. FILIPE TOLEDO, 21 anos

Patrocinadores: Hurley/Nike, Monster, Oi, GoPro, Oakley, Jeep, Sharp Eye, Sunbum, Stance. 

Aos 21 anos, o brasileiro é o mais novo da lista mas a tendência é para continuar a fazer melhor. Segundo a publicação australiana, o salário de Filipe Toledo este ano foi calculado pelos feitos conseguidos em 2015. Nesse ano, se a memória não falha, ele conseguiu três vitórias e terminou o ano em quarto lugar do CT. Não é, por isso, de estranhar que esteja entre o top 10 da lista dos mais ricos. Recebeu 1.6 milhões de dólares (138 mil são respeitantes a prémios em eventos). 

 

 

 

6. JULIAN WILSON, 28 anos

Patrocinadores: Hurley, Red Bull, Oakley, JS, FCS, Sunbum.

A cara bonita da Austrália reúne todos os condimentos para os patrocinadores, pois tem sabido manter-se no “spotlight". Julian Wilson detém algumas vitórias de relevo na carreira, como o inesquecível e histórico Pipe Masters, e é quase sempre apontado como potencial candidato ao título mundial da temporada. Ao longo de 2016 registou ganhos de 2.3 milhões de dólares sendo que 183 mil provêm de eventos. 

 

 

5. KOLOHE ANDINO, 22 anos

Patrocinadores: Hurley, Red Bull, Target, Oakley, Skullcandy, FCS, Neff, Mayhem.

Poderemos dizer que Kolohe Andino é a versão norte-americana de Julian Wilson. Ele tem tudo o que é preciso para vingar e captar a atenção de sponsors. Um contrato de 10 anos selado com a Nike/Hurley, há uns anos, garantiu-lhe a estabilidade necessária de que precisava. De acordo com o que é referido na peça original, esse contrato assenta em cerca de 1 milhão de dólares de salário base anual. A este valor há que acrescer o budget que a Red Bull lhe dedica - e que ocupa o nose da sua prancha e se diz ser de 500 mil USD/ano -, o de prémios e outros sponsors mais pequenos. Assim, a estrela norte-americana regista facilmente ganhos na ordem dos 2.6 milhões, dos quais 208 mil referem-se a prémios conseguidos em campeonatos. 

 

 

4. MICK FANNING, 35 anos

Patrocinadores: Rip Curl, Red Bull, Skullcandy, FCS, Dragon, Reef, DHD, Creatures of Leisure, Audi.  

A seguir a Kelly Slater, Mick Fanning é muito provavelmente o surfista mais conhecido do planeta - ficou ainda mais depois do ataque de tubarão na África do Sul. O australiano decidiu sair de cena a meio do ano, mas a sua conta bancária nem por isso diminuiu. Muito pelo contrário, continuou a crescer. Só a parceria com a Rip Curl rende cerca de 1.5 milhões de dólares por temporada, numa soma total de 2.8 milhões onde 162 mil USD são de encaixe direto de prémios em campeonatos. 

 

 

3. JORDY SMITH, 28 anos

Patrocinadores: O’Neill, Futures, Red Bull, Trace, Oakley, Vestal, Neff, Channel Islands, Brand Black.

O gigante sul-africano, que vive agora em San Clemente, Califórnia, voltou a ver fugir o título mundial esta temporada. No entanto, é um dos mais mediáticos surfistas do globo e isso garantiu-lhe, este ano, um milhão de dólares de salário da O’Neill e mais outro tanto da Red Bull. No total, a factura do Sr. Jordy Smith ascende a 3 milhões de dólares, sendo que desses 272 mil vêm de prémios conquistados em eventos. 

 

 

 

2. GABRIEL MEDINA, 23 anos

Patrocinadores: Rip Curl, Coppertone, Mitsubishi, Oi, Oakley, Samsung Galaxy, Guarana, Nike, FCS, Pukas Surfboards. 

A forte componente social de Gabriel Medina, que pôs a América Latina do seu lado quando conquistou o primeiro título mundial de surf para o Brasil, em 2014, é um dos grandes pilares deste jovem surfista. E o mundo do marketing sabe disso e por isso o tornou embaixador de marcas não endémicas e tão diferentes como a gigante da eletrónica Samsung ou os sumos Guaraná. Os ganhos do brasileiro são impressionantes: 5.5 milhões de dólares anuais (282 mil vêm de prize-money’s). 

 

 

1. JOHN JOHN FLORENCE, 22 anos

Patrocinadores: Hurley, Spy, Stance, Monster, Futures, Nixon e Pyzel Surfboards.

Este foi o ano de John John que se tornou, com todo o mérito, campeão mundial de surf pela primeira vez na vida. No entanto, os proveitos do jovem havaiano estão alinhados com o seu sucesso, tornando-o assim o mais bem pago surfista da atualidade. JJF é o primeiro campeão mundial masculino da Hurley Team e só daí advém (em prémios por objetivos e salário) cerca de 4 milhões de dólares anuais. Nas contas finais, Florence recebeu 6.1 milhões USD em 2016, sendo que 631 mil são referentes a prémios de eventos. O prodígio havaiano pode estar perfeitamente tranquilo, pois é um dos que não passará mal de futuro. O havaiano aufere, atualmente, 700 dólares à hora… mesmo quando se encontra a dormir. 

 

 

Nota final: Tyler Wright, apesar de se ter tornado campeã mundial, não faz parte da lista. Nem Dane Reynolds que ao sair do equipa da Quiksilver deixou de ser um dos mais bem pagos do globo. Kelly Slater também não faz parte da lista, pois a sua fonte de rendimento é difícil de entender uma vez que se cruza com negócios pessoais e sponsors diretos de marcas como a GoPro, Chia Seeds e PB Teen. Em prémios ele recebeu 231 mil USD e, embora já não receba da Quiksilver e Channel Islands, ele comprou recentemente a Firewire, iniciou uma linha de roupa (OuterKnown), lançou uma bebida (Purps), deu a conhecer a KS Wave Co. (piscina de ondas artificiais) e ainda se diz que detém uma participação na World Surf League. 

Perfil em destaque

  • Constância Simões Constância Simões

    Esta semana fomos até à ponta sul do país, ao Algarve, falar com uma nova promessa do surf feminino… 

Scroll To Top