Richard Marsh com Kikas, uma dupla para já recheada de sucessos. Richard Marsh com Kikas, uma dupla para já recheada de sucessos. Foto: WSL

Itens relacionados

sexta, 03 fevereiro 2017 17:23

RICHARD MARSH É O ENGENHEIRO DA QUALIFICAÇÃO

Quando o que está em causa é a arte do “coaching”… 

 

O cascalense Frederico Morais conseguiu aos 24 anos algo que não está ao alcance de todos os surfistas - a qualificação para a World Championship Tour da World Surf League. Foi o segundo português da História a conseguir tão importante e demarcado feito. 

 

O talento e empenho de Kikas foi essencial para alcançar este objetivo (que só alguns ousam almejar), tal como foi muito importante o apoio incondicional dos seus amigos e da sua família onde reina uma mentalidade francamente ganhadora, a de "nunca desistir e continuar sempre a lutar”. 

 

No entanto, não podemos esquecer as diretrizes e vozes de comando de Richard “Dog” Marsh, o seu treinador, que o levou a ter os pés bem assentes na terra, o manteve focado e orientado para os resultados numa longa e dura temporada da Qualifying Series. 

 

A consistência do surfista português é gritante (N.A.: João Capucho dizia-nos há dias que Kikas não cai) e explicada por uma média pontual de 13.63 pontos por heat que, de acordo com a equipa da World Surf League, é superior a muitos experientes surfistas que correm a primeira divisão do surf mundial. 

 

No entanto, para compreender o sucesso de Frederico é preciso conhecer o trajeto do seu treinador, aquele a quem nós, na Surftotal, vamos tomar a iniciativa e passar a chamar de engenheiro da qualificação

 

Richard "Dog" Marsh foi um surfista profissional bem sucedido que teve na Championship Tour de 1992 o ponto alto da sua carreira - um 8.º lugar no ranking mundial. Dois anos mais tarde, em 1994, o australiano decidiu retirar-se quando tinha apenas 28 anos. 

 

Na altura aproveitou o “momentum” e abriu uma surf shop, em Cronulla, até se mudar de armas e bagagens (família incluída) para França, em 2005. Há seis anos aceitou um cargo na Billabong - a de International Junior Development Coach - e desde então tem vindo a trabalhar com alguns dos melhores talentos europeus, bem como com alguns surfistas da elite onde Ryan Callinan e Frederico são os principais rostos. 

 

Em entrevista à WSL, Marsh fez o favor de explicar como iniciou o seu trabalho com o surfista lusitano: “Eu comecei por trabalhar com o Fred há cerca de seis anos. Na altura reconheci o seu potencial, mas também vi que havia muito trabalho por fazer. Porém, com o Fred houve uma ligação imediata no olhar e uma intensidade que acabou por tornar tudo mais fácil. Ainda hoje é assim."

 

Richard, que assistiu à dramática e intensa qualificação de Kikas sentado em cima da sua prancha no canal de Sunset Beach, fez ainda o favor de relatar o que envolveu esses últimos dias no North Shore onde a presença no CT não estava assegurada e tudo era ainda inseguro. 

 

“Entre os últimos eventos tivemos uma janela de espera de 12 a 13 dias, que foi horrível, mas ainda assim ele manteve a compostura e o foco. Foi muito impressionante. Depois, em Sunset, ele teve um pequeno percalço inicial, o que acabou por ótimo, pois eu aproveitei para chamá-lo à parte e dizer: Não podes mais fazer isso, tens que ir com tudo. Isto agora é ou cais ou vences. É tão simples quanto isso, não podes voltar atrás. A partir desse momento essa passou a ser a regra”, disse. 

 

Relativamente ao papel de treinador, ou “coaching” se preferirem, as coisas são muito claras e simples nos dias que correm. Segundo ele, a importância do seu papel nem se põe. “Não é o meu mundo, isto não é sobre mim. Eu estou aqui apenas para apoiar os surfistas. Eu já tive o meu tempo ao sol, portanto, esta é apenas uma posição de apoio ao atleta. E nós não queremos fazer desse papel mais do que ele é na realidade. Trata-se simplesmente de procurar ser o mais prestável possível”, explica. 

 

Em tempos a Surfer Magazine escreveu sobre ele que “a sua alcunha, ‘Dog’, é na verdade também a sua natureza. Simpático, caloroso, divertido, honesto e carismático. Mas também duro e perigoso."

 

Qualidades que muito provavelmente estarão na génese do sucesso de Kikas e que a concorrência terá de ter em conta dentro de muito pouco tempo. 

 

“Divirtam-se sempre”, é o conselho que deixa a todos os seus surfistas. 

Perfil em destaque

  • Francisco Pinto Francisco Pinto

    Diretamente do Magoito para o Perfil da Semana na Surftotal… 

Scroll To Top