Pedro Bicudo, à esquerda, com André Rodrigues (Gato), Cecília Sumares e Pedro Monteiro. Pedro Bicudo, à esquerda, com André Rodrigues (Gato), Cecília Sumares e Pedro Monteiro. Foto: DR

Itens relacionados

sexta, 08 julho 2016 15:23

PEDRO BICUDO: “A MADEIRA TEM CONDIÇÕES PARA LIDERAR A NÍVEL MUNDIAL A RECUPERAÇÃO DE ONDAS PARA A PRÁTICA DE SURF"

Em entrevista exclusiva, o Presidente da SOS - Salvem o Surf fala do surf na Ilha da Madeira... 

 

No seguimento das reuniões que a ASRAM (Associação de Surf da Região Autónoma da Madeira) e a SOS – Salvem o Surf tiveram na Região Autónoma da Madeira em 2016 (ver notícia aqui), a Surftotal passou a entrevistar Pedro Bicudo, Presidente da SOS - Salvem o Surf, que nos deu alguns esclarecimentos adicionais. Eis então o essencial da entrevista: 

 

Qual o motivo da recente visita da SOS - Salvem o Surf à Madeira e quais são as questões de fundo para a associação neste momento relativamente ao surf na ilha?

A recente visita da SOS - Salvem o Surf à Madeira continua o trabalho que vimos a realizar desde há muitos anos, em parceria tanto com os surfistas (no sentido lato) como com governantes e autarcas, a fim de acentuar a vertente natural do surf e de desenvolver o surf de forma harmoniosa e sustentável.

 

Pelo que percebemos, entre os vários assuntos levantados, dois são de crucial importância: Jardim do Mar e Lugar de Baixo. Queres explicar-nos o que pretende a SOS - Salvem o Surf fazer nesses spots?

Já há mais de 10 anos, alguns surf spots de qualidade mundial foram danificados na Ilha da Madeira, por obras costeira sobredimensionadas. Pela sua qualidade intrínseca, estes surf spots têm despertado uma enorme atenção da parte da elite mundial do surf desde que ganharam mediatismo há cerca de 20 anos. A sua danificação, não só prejudicou diretamente o desenvolvimento dos atletas mais jovens, como criou um estigma muito forte que levou à quebra acentuada do turismo de surf. Felizmente estes surf spots não estão totalmente destruídos e podem ser recuperados, sem pôr em perigo a proteção costeira pretendida. Gostaríamos de contribuir para esta recuperação, com benefício para toda a comunidade do surf e para o sector do turismo que é muito importante na Ilha da Madeira. A nossa ambição é restaurar a qualidade mundial original dos surf spots, começando pelo caso que é mais fácil de recuperar.

 

"Já há mais de 10 anos, alguns surf spots de qualidade mundial foram

danificados na Ilha da Madeira, por obras costeira sobredimensionadas"

 

- Jardim do Mar de sonho. Foto: DR 

 

Já existem estudos ou projetos de requalificação feitos e prontos a aplicar? Se sim, onde estão acessíveis?

Já foram iniciados estudos pelos nossos parceiros e por nós, mas ainda não estão publicados. A sua publicação dependerá da oportunidade que os nossos parceiros entendam ser mais conveniente.

 

Obter consenso entre as associações locais parece ser um problema premente sem fim à vista. Em que temas específicos as associações locais se afastaram mais do ponto de vista da SOS - Salvem o Surf? 

A SOS – Salvem o surf está em total sintonia com a ASRAM, associação que representa todos os clubes de surf da Região Autónoma da Madeira, e que tem tido o papel principal no desenvolvimento do surf (no sentido lato) na RAM, organizando ano após ano os campeonatos regionais das diversas modalidades e outros de fórum promocional, apoiando os atletas mais jovens, e ainda sendo apoiada por quase todos os surfistas mais influentes da RAM. Queríamos ainda referir que as nossas missões têm sido apoiadas tanto pela ASRAM, como por diversos serviços do Governo regional, bem como pelos surf camps mais antigos da Ilha da Madeira - a casa de Cecília Sumares e o Maktub no Jardim do Mar - e pelos diversos surfistas que constituem o núcleo da SOS – Salvem o Surf na RAM. 

 

"A Madeira tem condições para liderar a nível mundial a recuperação de ondas

para a prática do surf, tornando-se um caso a estudar mundialmente”

 

- Fabiana Afonso (do Maktub), Tânia Cale, Pedro Bicudo,João T. Lopes e Lourenço S. Mendes. Foto: DR

 

Por último, para a SOS - Salvem o Surf, qual consideras ser o futuro do surf na Ilha da Madeira sob dois prismas: 1) Sem que se verifique qualquer mudança no planeamento da orla costeira (ou seja, que continue tudo na mesma); 2) Com alterações a serem efetuadas segundo medidas apresentadas pela associação?

Com base nos estudos que temos realizado; tanto da economia e do turismo de surf; como de impactes ambientais no surf; de tecnologias para melhorar a qualidade do surf; e ainda por auscultar a elite do surf mundial que continua muito atenta à Ilha da Madeira; podemos concluir que o cenário 1 será pouco vantajoso para qualquer vertente do surf, mas o cenário 2 com os melhoramentos que temos discutido irá criar um desenvolvimento muito significativo, e ao mesmo tempo sustentável para o surf na Ilha da Madeira. Com efeito, irá não só criar condições mais seguras para os jovens atletas madeirenses, mas também constituirá a campanha de promoção mais eficiente possível da Ilha da Madeira, pois inverterá totalmente o estigma existente. A Madeira tem condições para liderar a nível mundial a recuperação de ondas para a prática do surf, tornando-se um caso a estudar mundialmente.

 

 

- Pedro "Pekas" Monteiro a usufruir de todo o potencial do Jardim do Mar. Foto: DR

 

--

Entrevista: AF

Perfil em destaque

  • Gonçalo Vieira Gonçalo Vieira

    Talento da margem sul conquista atenções no novo Perfil da Semana… 

vimeo

 

 

Scroll To Top