Na Indonésia, numa viagem recente, a curtir a vida ao máximo. Na Indonésia, numa viagem recente, a curtir a vida ao máximo. Foto: Arquivo Pessoal

Itens relacionados

segunda, 09 outubro 2017 15:04

A “stoke” do Surf com Ken McDougall

Aos 77 ainda surfa e continua ativo na busca pela onda perfeita... 

 

Numa das viagens à Indonésia cruzamo-nos com Ken McDougall, surfista da terceira ou quarta geração da Austrália. Aos 77 anos ele mantém-se bem ativo e quase sempre em busca de ondas perfeitas, mas foi precisamente o facto de conhecer muito bem a região que nos levou a uma conversa muito especial. 

 

Surftotal: Sabemos que já cruzaste a Indonésia muitas vezes. Quando tudo começou? 

Ken McDougall: Há já trinta anos que viajo para as ondas da Indonésia. 

 

O espírito e as sensações do local mantêm-se ou são diferentes hoje em dia? Comparando as infraestruturas atuais com as que encontraste nos primeiros tempos, consideras as diferenças enormes?

As infraestruturas cresceram muito. Fiquei verdadeiramente pasmado com o aeroporto de Jacarta e o nível de qualidade apresentado nos voos locais. 

 

E as pessoas? 

As pessoas com quem me cruzei foram sempre muito profissionais, sempre munidas daquela amistosa cortesia que sempre foi algo bem típico das ilhas. 

 

“O que recordo sempre são as pessoas com quem me cruzei

bem como as ondas que surfei"

 

Podemos facilmente afirmar que já surfaste uma grande quantidade e diferentes ondas...

Bem, eu já estive na Indonésia e Pacífico Sul, e no Havai por oito vezes. Cada zona é diferente e tem as suas características, mas o que recordo sempre são as pessoas com quem me cruzei bem como as ondas que surfei. 

 

A Indonésia tem 17 mil ilhas, muitas delas com altas ondas. Consideras-te um expert nas ondas indonésias?

A onda de Kingfisher (Lances Left e Lances Right) é seguramente uma onda de destaque e de classe mundial, que nunca ficamos cansados de observar ou surfar. Eu nunca surfei uma tão portentosa e rápida como esta, nesta última viagem, e isso inclui Cloudbreak nas Fiji. 

 

- Sharing is caring. 

 

Sabendo o que sabes presentemente, que terias feito de diferente na tua vida, se é que podemos perguntar?

Eu vivo a 50 metros da praia em Wollongong Norte, Austrália, que é por demais bela e vibrante. Nela podemos encontrar pessoas que adoram a costa e o seu lifestyle. Portanto, a vida para mim está completa. 

 

“Os meus amigos ainda surfam. Alguns deles já

substituíram as ancas e joelhos por próteses"

 

A maior parte dos teus amigos ainda surfa?

Sim, os meus amigos ainda surfam. Alguns deles já substituíram as ancas e joelhos por próteses, mas voltam sempre ao surf e ao oceano. Tenho um amigo com 87 anos que ainda surfa. Ele já não consegue pôr-se de pé, mas tem uma prancha especial que mandou fazer onde se mete de joelhos e com ela surfa regularmente nas praias a norte de Sydney. 

 

Qual é o segredo para manter o ritmo e continuares a surfar?

Um programa de treino é essencial assim que começamos a ficar mais velhos. A minha neta é uma PT qualificada (personal trainer), portanto, eu consigo preços muito especiais e baixos nesse campo. 

 

--

Imagens de arquivo pessoal

Perfil em destaque

  • Constância Simões Constância Simões

    Esta semana fomos até à ponta sul do país, ao Algarve, falar com uma nova promessa do surf feminino… 

vimeo

 

 

Scroll To Top