Miguel Mouzinho está preparado para voltar aos palcos nacionais. Miguel Mouzinho está preparado para voltar aos palcos nacionais. Foto: Luís Villa Brito

Itens relacionados

sexta, 10 fevereiro 2017 16:41

MIGUEL MOUZINHO: “NESTE MOMENTO ESTOU NUMA FASE DE SURF MUITO BOA"

O exclusivo que se impõe com um dos melhores surfistas nacionais da atualidade...

 

Nos dias que correm Miguel Mouzinho continua a ser um dos surfistas de referência da costa portuguesa. O algarvio, de 28 anos, regressou recentemente de uma viagem ao Havai e também acaba de lançar o seu novo vídeo, “Home Sweet Home”, onde nos mostra que foi recebido com toda a pompa e circunstância e se encontra a 100% para voltar aos palcos nacionais. Lê então mais um exclusivo com o selo de qualidade da Surftotal. 

 

Temporada havaiana. Que achaste da experiência e qual o objetivo?

Miguel Mouzinho: Antes de mais aproveito para agradecer ao João Pedro, "pai do Jony”, pelo convite e confiança em mim depositada, pois foi mesmo uma experiência incrível. O Havai é de facto um dos lugares mais "surf" do mundo onde um atleta ou sai fora da casca ou é apenas mais um! O objetivo desta viagem foi mesmo acompanhar, treinar e proporcionar aquele tipo de ondas, como Off The Wall, Backdoor, Pipeline, Sunset, etc; ao João Maria Mendonça.

 

Pelo que fomos vendo nas redes sociais, o João portou-se à altura no regresso ao North Shore. Que balanço farias do seu desempenho?

O “Jony" é um miúdo que nos tem habituado ao gosto pelas ondas de “verdade”. Eu sabia que ele se ia atirar, sabia que ele ia puxar pelos limites, mas na verdade confesso que foi impressionante ver a atitude, o talento natural e o faro para os tubos. Posso dizer que superou em muito as minhas expetativas. 

 

"Custa-me muito entender e aceitar que o Algarve e o Alentejo possam

vir a ser afetados por estruturas de ferro [relativamente à exploração petrolífera]"

 

O que considerarias ser o melhor e o pior do Havai?

O melhor do Havai são mesmo as ondas e a natureza que a ilha apresenta. O pior é mesmo só o crowd. 

 

Mudando de assunto. De uma forma geral, como está o surf no Algarve?

O Algarve é um pequeno paraíso com uma ótima diversidade e consistência no que toca a ondas. A região tem tido um crescimento no surf que é fora do normal, mas, a meu ver, de forma negativa. Cada vez se vê mais gente na água e menos qualidade de surf, crowd sem noções do que fazer e de como estar dentro de água, o que começa a ser muito difícil de lidar por estes lados. 

Em termos de eventos, temos o regional de surf do Algarve que é um circuito bem organizado por parte dos clubes algarvios em conjunto com a FPS. O nível nos diversos escalões não é o melhor do país, mas vejo que há melhorias e que se está a caminhar para o bom caminho, como faz, por exemplo, o Sérgio Wu Brandão, Guga Gouveia, Francisco Canelas, Paulo Almeida e a Quarteira Surf Project, entre outros. 

No que toca a patrocínios, é uma realidade que aqui sempre tivemos mais dificuldade em ter exposição. Não gosto de o dizer, mas é uma realidade. No entanto, sou apologista de que se fores mesmo bom e se quiseres imenso, tudo vai acontecer para o teu lado e mais tarde ou mais cedo terás a visibilidade e a ajuda de que precisas. 

 

 

Quem dirias que são os novos valores emergentes?

João Maria Mendonça, Michael Conlan, Bruno Gregório, Leon Schneider, Henrique Poucochinho, Salvador, Rafa, Ricardo Augusto, Concha Balsemão, Piki, Martim Bailote, Splinter e o Ricardo. A meu ver estes são os surfistas da nova geração algarvia que podem vir a dar que falar.

 

Um tema bem polémico nos dias que correm tem sido a exploração petrolífera a sul. Que opinas tu sobre isso?

Enfim, é um tema muito triste. Ver, ou neste momento pensar, que um lugar como o Algarve e não só, pois o Alentejo também será afetado por estes interesses, é muito grave. Custa-me muito entender e aceitar que regiões como o Algarve e o Alentejo, que dispõem de uma beleza tão natural e virgem que atraem todos os anos tantos turistas e que, por sua vez, nos ajudam financeiramente; possam vir a ser afetados por estruturas de ferro que podem causar um impacto ambiental imenso e um molde terrestre como novas estradas para camiões, etc. Gostava honestamente de ver um ponto que fosse positivo no meio disto, mas não encontro, pois a verdade é que eu sou mesmo contra a exploração de petróleo! 

 

"Neste momento sinto-me melhor do que nunca e numa fase de surf muito boa"

 

- A aplicar pressão por casa, como se não houvesse amanhã. Foto: Salty Frames

 

Uma última questão que se prende com a liga nacional de surf. Para quando um regresso mais assíduo?

Bem, os meus objetivos mudaram e neste momento quero ver os meus atletas divertirem-se, a crescer e se quiserem competir quero vê-los a ganhar. O gosto pela competição existe dentro de mim, mas o ano passado fui operado ao joelho e fui obrigado a parar. Neste momento sinto-me melhor do que nunca e numa fase de surf muito boa, ou seja, vou voltar a competir este ano e fazer todas as etapas com o objetivo de divertir-me e passar muitos heats.

 

Nota: Na próxima passagem pelo Algarve e mais especificamente por Lagos, não hesitem e optem por ficar no The Shelter Lagos, hostel com uma incrível “surf vibe” operado na íntegra pelos irmãos Mouzinho. 

 

 

Perfil em destaque

vimeo

 

 

Scroll To Top