Frederico Morais sobe seis lugares na tabela mundial. Frederico Morais sobe seis lugares na tabela mundial. Foto: WSL

Itens relacionados

quinta, 20 julho 2017 10:32

Após J-Bay, 12.º lugar no ranking mundial para "Prince of Portugal"

Melhor resultado da temporada atira português para os lugares da frente…

 

Frederico Morais, 25 anos, natural de Cascais, bicampeão nacional, conseguiu hoje um feito que será difícil esquecer nos próximos tempos: tornou-se vice-campeão de uma etapa do World Tour (na África do Sul). Nunca um português tinha contado com um registo tão alto. 

 

Em dezembro do ano passado, depois de ter feito as finais de Haleiwa e Sunset Beach, alcançou a tão ambicionada/sonhada qualificação ao Championship Tour. Depois de Tiago Pires, foi o segundo português da História a conseguir um feito tão importante. 

 

Mas Frederico parece predestinado a grandes feitos. Em 2013, por exemplo, afastou Kelly Slater do CT de Peniche e, na mesma prova, em 2015, alcançou os quartos de final tendo eliminado pelo caminho os campeões mundiais Mick Fanning, Joel Parkinson e Adriano de Souza. 

 

Também assinalável, em dezembro de 2013, após ter feito a final do 'QS de Sunset Beach, onde bateu John John por várias vezes; o facto de ter sido considerado Rookie do Ano na Hawaiian Triple Crown. 

 

No Corona Open J-Bay, a sexta etapa do circuito mundial de surf que terminou hoje, ele terminou num fantástico 2.º lugar, que ainda é difícil de acreditar; e melhorou o seu melhor resultado na presente temporada, um 5.º lugar obtido em Bells Beach, a terceira etapa do Tour. Pelo caminho eliminou Ian Gouveia, Connor O'Leary, John John Florence e Gabriel Medina... e ainda registou a primeira nota 10 no World Tour. 

 

 

Na verdade, Jeffreys Bay tem a cara de Kikas e o português não desperdiçou a oportunidade que lhe foi concedida para deixar a sua marca. Com exceção da primeira e terceiras rondas, onde "só" debitou 13.73 e 13.07 pontos, respetivamente, todas as outras registaram scores altíssimos, o que comprova a sua qualidade, mas também a reconhecida consistência que é necessária entre os melhores surfistas do globo. Refira-se, Morais nunca perde com pontuações baixas. 

 

Vejamos: 15.73 no Round 2; 19.07 no Round 4; 19.77 nos quartos de final; 17.37 nas meias finais; 17.73 na final. A sua média de pontos por heat, atualmente, é de 13.26 pontos. AVASSALADOR!

 

Com este desempenho, subiu seis posições no ranking, passa de 18.º para 12.º lugar na tabela mundial e quase que garante a manutenção entre a elite. Além de Filipe Toledo, que venceu a etapa e pulou sete lugares (está agora em 7.º), Morais foi o atleta que mais lugares subiu no ranking após a etapa sul-africana encontrando-se a 1250 pontos de Connor O'Leary, na décima posição, o único rookie que está à sua frente, deixando assim em aberto o troféu de rookie do ano. 

 

O português conta agora com três 13.º lugares, um 25.º, um 5.º e um 2.º lugar, mas convém frisar que nas contas finais são contabilizados os nove melhores resultados entre as 11 etapas do Tour. 

 

Isto soa-nos bem, francamente bem. 

Perfil em destaque

Scroll To Top